235

Icapuí está situado no extremo Litoral Leste do Ceará e se inclui no Roteiro das Falésias. Terra da lagosta, no Ceará é onde o sol nasce primeiro! São 65km de praias, algumas  semi-virgens, ponteadas por dunas, falésias, mangue, barra de rio, onde o sol brilha na maior parte do ano.

Gente hospitaleira, de tradições marcadas nas histórias, lendas e crenças de seus pescadores artesanais de lagosta. Sua gastronomia, a base de pratos de peixe, lagosta e camarão, associa-se à diversidade do seu artesanato em labirinto, madeira, algas, renda e derivados do coco, revelando uma criatividade que encanta e surpreende. Sua história registra a passagem dos tropeiros e remonta ao descobrimento, quando o espanhol Vicente Pinzón, em fevereiro de 1500, aportou em Ponta Grossa.

Conheça algumas de nossas praias!

 

RETIRO GRANDE

 

Praia calma, com falésias coloridas e em alguns pontos cobertas por vegetação rasteira. Existe uma pequena comunidade na parte alta das falésias. A sinfonia dialética da natureza: água doce que borbulha no seio do mar salgado, falésias com formações exóticas e com colorações que variam do vermelho fechado ao laranja, proporcionando ao local paisagens selvagens e com clima de magia. 

PRAIA DE RETIRO GRANDE

 


PONTA GROSSA

 

Comunidade em que a maioria dos nativos são descendentes de holandeses. Praia de diferentes paisagens, despontando a maior duna de Icapuí com trilha ecológica guiada por nativos. Falésias com formações exóticas e multicoloridas, que dão tons de alegria à manhã que nasce. Quando a maré baixa expõe uma fonte de água doce na praia, que os nativos chamam de olheiro. Aproveite para entrar em contato com um artesão de apelido Capitão, que faz trabalhos em madeira (tubarões, golfinhos, arraias). Conheça também o Josué, que coleciona peças recolhidas das antigas expedições européias. Há uma tese de historiadores que sustenta que o espanhol Vicente Pinzón aportou por aqui antes de Pedro Álvares Cabral tomar posse do Brasil em Porto Seguro, em nome da coroa portuguesa.

Praia de Ponta Grossa


REDONDA

 

Uma das mais belas praias do Ceará. Falésias com colorações que vão do vermelho e branco ao amarelo, de acordo com a luz do sol e a influência das marés. Toda a orla é circundada por falésias, sendo boa parte coberta de vegetação rasteira, com coqueiros na parte baixa. Povoado com famílias organizadas em associações que pescam lagosta e peixe, utilizando mais de uma centena de botes.  No artesanato local, as mulheres trabalham com labirinto e palha, existindo artesãos que utilizam a raiz da hortênsia e o tronco de emburana, fabricando barquinhos. Há um grupo de teatro de rua que se chama Flor do Sol, formado por nativos que se apresenta na praia e em outras comunidades, trabalhando com temas sobre pesca, turismo, religião e meio ambiente. A maré é calma, proporcionando um banho de mar tranquilo, em águas tépidas espraiadas em um semi círculo, dando origem assim ao nome da praia. Ou, no dizer do poeta, Deus usou um compasso e traçou a Redonda!

FOTO TEXTO-REDONDA


PEROBA

 

Praia de ondas fracas com arrecifes. Ao fundo, falésias de tons avermelhados e também coqueiros. Núcleo pequeno de pescadores. É imperdível apreciar a encantadora paisagem, sua gente simples e o mágico mar de Peroba.

PRAIA DE PEROBA

 


PICOS

 

Da praia que o mar levou restaram os acenos de adeus das palmas do coqueiral, transmutados em beleza pura. Pequena comunidade de cerca de 10 famílias, praia de ondas fracas com pedras dentro do mar e ao fundo falésias coloridas com formatos peculiares tais como a pedra do chapéu. Possui área para mergulho. 

 

 FOTO TEXTO-PICOS


BARREIRAS

 

O coqueiral é o ponto de destaque da paisagem. Praia de ondas fracas. É maravilhoso apreciar a vista entre Barreiras de Baixo e Barreiras de Cima como chamam os nativos e tomar um gostoso banho de mar. O vento perpassa o coqueiral, enquanto as ondas se esfacelam em espumas no dorso do penhasco de Ana Rosa. Tem várias barracas e bares onde se pode comer as delícias do mar – variedade de peixes, camarão e lagosta.

 

 

FOTO TEXTO-BARREIRAS

 


REQUENGUELA

 

Situada em área de mangue, Requenguela se destaca pelo imenso recuo da maré, proporcionando ainda visão ímpar durante o processo de enchente, quando o mar parece correr para chegar a terra. Em Requenguela dá-se também o encontro de mar e rio, formando a área da Barra Grande, ponto de encalhe das embarcações lagosteiras para reparo.Em Requenguela pode-se desfrutar da típica culinária local com moquecas de siri, búzio e arraia, sendo obrigatório visitar a Estação Ecológica de Mangue Pequeno para observação da fauna e flora típicas do mangue.

 

 FOTO TEXTO-REQUENGUELA


QUITÉRIAS

 

Coqueiros baixos que ponteiam a praia, o mar surgindo selvagem, forte, imenso, abraçando o mundo, recuando areias. As dunas são baixas e ainda existe uma formação de pedras no mar do tipo oca, que serviu para antigas construções. Núcleo de pescadores, comunidade simples, onde o mar cada vez mais, insiste em se aproximar.

 

FOTO TEXTO-QUITÉRIAS

 


TREMEMBÉ

 

Não existe lugar mais sereno do que Tremembé. Vila pequena de pescadores e comerciantes, um lugar saudável de gente saudável, uma comunidade que sobrevive da pesca do peixe, da lagosta e das mulheres rendeiras. Caminhar na praia e banhar-se nas águas do mar manso e gostoso de Tremembé é ganhar certamente muita saúde para viver bem mais aqui em terra. Além de mar, sol, céu, lua, lagosta, peixe, coqueirais, o lugar oferece ainda a festa de São Pedro, labirinto, pousadas, e barracas na beira da praia. Tremembé foi reduto de hippies e naturalistas na década de 60 (o sonho de paz e amor),  conservando até hoje sua praia de areia, águas calmas, limpas e ainda com coqueirais densos que se enfileiram ao longo da costa. Fica próxima ao açude de Arrombado – manguezal e balneário (área de interesse de proteção).

 

FOTO TEXTO-TREMEMBÉ